Menu

Opção I (Enf) ( Pessoa em Situação Crítica ) - Enfermagem - Sem Ramos - Especialidades


1.5
ECTS / UC
Ano: 4 / 1º Semestre
Plano: 2011/12
Área Científica: ENF
Nível: Básico

Carga Horária Semestral

Ensino Teórico:
Ensino Teórico-Prático: 6.00
Ensino Prático e Laboratorial: 10.00
Trabalho de Campo:
Seminário:
Estágio:
Orientação tutorial:

 

Horas Dedicadas a Estágios:
Horas Dedicadas a Projectos:
Horas Dedicadas a Trabalhos no Terreno:
Horas Dedicadas a Estudo:
Horas Dedicadas a Avaliação:
Outras:

Cursos onde é leccionada a disciplina

Curso - Ramo Ano Plano
Enfermagem - Sem Ramos - Especialidades 2011/12

Ficha da disciplina

Objectivos da disciplina

1 Desenvolver competências na assistência à pessoa a vivenciar processos complexos de doença crítica e/ou falência orgânica;

2 Explorar os princípios da avaliação primária, ressuscitação e algoritmo do suporte avançado de vida;

3 Desenvolver competências na administração de fármacos à pessoa em situação crítica. Competências a desenvolver: Analisa, interpreta e sintetiza dados objetivos de situações emergentes, gerindo informação proveniente de diferentes fontes; Interpreta o exame primário e secundário de uma forma organizada e eficiente priorizando as necessidades; Planeia a intervenção face às necessidades da pessoa em situação crítica mobilizando os conhecimentos necessários e utilizando recursos técnicos adequados à resolução dos problemas; Trabalha em equipa intra ou interdisciplinar favorecendo um clima de cooperação; Identifica práticas de risco e adota as medidas apropriadas.

Critérios de avaliação

Tipo de Classificacao: Quantitativa (0-20)
Metodologia de Avaliação: A UC desenvolver-se-á através de sessões letivas teórico-práticas e práticas laboratoriais recorrendo ao método expositivo-participativo e demonstrativo onde, para além da exposição da temática previamente trabalhada, serão idealizados casos práticos de modo a promover a participação e reflexão do grupo. Assim, nas práticas simuladas os estudantes mobilizam conhecimentos e aplicam habilidades instrumentais apreendidas. Nesta metodologia é de todo o interesse a divisão da turma em sub-grupos para uma melhor rentabilização dos recursos e consequente aproveitamento por parte dos estudantes. Dada a natureza teórico-prática e de prática laboratorial desta UC, o regime de avaliação adotado será a avaliação periódica e o modelo de avaliação será o B, assim, serão proporcionados dois elementos de avaliação com o mesmo peso, ou seja, 50% cada, uma frequência e uma prova prática. A nota mínima, em cada um dos elementos, é de 10 valores, podendo ser recuperada em recurso.

Programa resumido (ver programa detalhado)

Bibliografia Principal

American Academy of Pediatrics (2005). Pediatric Education for Prehospital Professional. American College of Surgeons (2012). Advanced Trauma Life Support (ATLS) ? Student Course Manual. Ninth Edition.
Canzian, S. et al (2013). Advanced Trauma Care for Nurses ? Student Manual. Fischbach, F (2002). Manual de Enfermagem Exames Laboratoriais & Diagnósticos,. Guanabara koogan.
Jacob, S., Francone, C., Lossow, W. (1990). Anatomia e Fisiologia Humana. Guanabara, koogan.
Lipman B. & Cascio, T. (1994). ECG Avaliação e interpretação. Lusociência.
Margarit, R. (2007). Protocolos em Urgências extra-hospitalares. Arán Ediciones, S.L..

Outras Fontes Bibliográficas / Documentos de Apoio

Atendimento

Links associados

Observações