Menu

Prática Clínica VI: Desenvolvimento Profissional (ed. 2011/12) - Enfermagem - Sem Ramos - Especialidades


15.0
ECTS / UC
Ano: 4 / 2º Semestre
Plano: 2011/12
Área Científica: ENF
Nível: Intermédio

Carga Horária Semestral

Ensino Teórico:
Ensino Teórico-Prático:
Ensino Prático e Laboratorial:
Trabalho de Campo: 288.00
Seminário:
Estágio:
Orientação tutorial:

 

Horas Dedicadas a Estágios:
Horas Dedicadas a Projectos:
Horas Dedicadas a Trabalhos no Terreno:
Horas Dedicadas a Estudo:
Horas Dedicadas a Avaliação:
Outras:

Cursos onde é leccionada a disciplina

Curso - Ramo Ano Plano
Enfermagem - Sem Ramos - Especialidades 2011/12

Corpo Docente

Ana Filomena de Matos Natividade Carvalho
Ana Filomena de Matos Natividade Carvalho


Responsabilidades:
Trabalho de campo
Gregório Magno de Vasconcelos de Freitas
Gregório Magno de Vasconcelos de Freitas


Responsabilidades:
Trabalho de campo
Maria Clementina Freitas Nobrega Morna
Maria Clementina Freitas Nobrega Morna


Responsabilidades:
Trabalho de campo
Maria Helena de Agrela Gonçalves Jardim
Maria Helena de Agrela Gonçalves Jardim


Responsabilidades:
Regência
Responsável pelas Pautas

Ficha da disciplina

Objectivos da disciplina

1 Desenvolver competências para o exercício de enfermagem com base num projecto de formação que perspective os interesses pessoais e revele integração ao nível cognitivo, técnico e relacional da aprendizagem efectuada.

2 Desenvolver competências que permitam o desenvolvimento pessoal e profissional como forma de contribuir para a melhoria contínua da qualidade dos cuidados de enfermagem.

Critérios de avaliação

Tipo de Classificacao: Quantitativa (0-20)
Modelo de Avaliação: C
Metodologia de Avaliação: Projecto e relatório aprendizagem em prática clínica (25%); estudo de caso/ processo de enfermagem (25%); prática clínica (50%) - avaliação contínua. A aprovação da unidade curricular implica aprovação na componente prática clínica. Não há recuperação em época de recurso.

Programa resumido (ver programa detalhado)

Bibliografia Principal

Friedman, M. M.; Bowden, Vicky R. and Jones, Elaine G. (2003). Family Nursing. Research, Theory, and Practice. Prentice Hall.
Bomar, Perri J. (2004). Promoting health in Families. Applying family research and theory to nursing practice.. Saunders.
Clark, Mary Jo (2003). Community Health Nursing: Caring for Populations. Prentice Hall.
Carpenito, L. (2002). Planos de cuidados de enfermagem e documentação: diagnósticos de enfermagem e problemas colaborativo. Artmed Editora.
Conselho Internacional de Enfermeiras (2010). Classificação Internacional para a prática de enfermagem (Versão 2). APE.
Hanson, Shirley May Harmon (2001). Enfermagem de cuidados de saúde à família. Teoria, prática e investigação. Lusociência.
Ordem dos Enfermeiros (2002). A cada Família o seu Enfermeiro. Ordem dos Enfermeiros.
Ordem dos Enfermeiros (2004). Competências dos enfermeiros de Cuidados Gerais. Ordem dos Enfermeiros.
Ordem dos Enfermeiros (2002). Padrões de Qualidade dos Cuidados de Enfermagem. Ordem dos Enfermeiros.
Stanhope, Márcia; Lancaster, Jeanette (1999). Enfermagem Comunitária Promoção da Saúde de Grupos, Famílias e Indivíduos. Lusociência.
SWhite, Dorothy A. (1997). Explorations in Family Nursing. Routledge.
Wright, Lorraine M. e Leahey, Maureen (2009). Enfermeiras e Famílias. Um guia para Avaliação e Intervenção na Família. ed. Roca.

Outras Fontes Bibliográficas / Documentos de Apoio

Barón, M. González e outros (sd). Tratado de medicina paliativa y tratamiento de soporte en el enfermo con cáncer. Panamericana.
Burke, Karen; Lemone, Priscilla (2004). Medical Surgical Nursing. Critical Thinking in Client Care. Pearson.
Brunner & Suddarth (1999). Tratado de enfermagem médico-ciruúgica. Guanabara Koogan.
Doenges, M.E.; Moorhouse, M. F.; Murr, A. C. (2002). Nursing Care Plans: Guidelines for individualizing patient care. F.A. Davis Company.
Otto , Shirley Enfermagem oncológica. . Lusociência.

Atendimento

Links associados

Observações