Menu

Formação Profissional - Ciências da Educação - Sem Ramos - Especialidades


7.5
ECTS / Credit Units
Year: 3 / 1º Semestre
Plan: 2016/17
Scientific Area: EDU
Level: Básico

Semestral Hour Load

Theorical:
Theorical-Pratical: 60.00
Pratical and Laboratorial:
Fieldwork:
Seminar:
Internship:
Tutorial: 3.00

 

Assigned Internship Hours:
Assigned Projects Hours:
Assigned Fieldwork Hours:
Assigned Study Hours:
Assigned Evaluation Hours:
Others:

Degree having this Course

Degree - Branch Degree Plan Year
Ciências da Educação - Sem Ramos - Especialidades 2016/17

Teaching Staff

Sofia Micaela Castro da Silva
Sofia Micaela Castro da Silva


Responsibilities:
Regência
Responsável pelas Pautas
Ensino teórico-prático
Orientação tutorial

Course Information

Course Objectivs

- To characterize the contexts /vocational training systems in Portugal.

- Identify the laws governing professional training.

- Identify the skills and capabilities necessary to be a former.

- Identify key factors and conditions that facilitate the learning.

- Understanding the dynamics trainer-trainee-learning object, a perspective of facilitating learning processes.

- Design and implement a methodology appropriate training to the objectives, target audiences and the training context.

- Understanding the psychosocial phenomena arising in groups in the context of training.

- Build and implement assessment tools on the basis of pre-defined goals.

- Develop a critical / constructive analysis that can contribute to the improvement of training systems, technical-pedagogical and / or organizational level.

Evaluation Criteria

The evaluation of student learning is procedural and continuous and assumes a minimum compulsory frequency of 80% of the classes taught, which is equivalent to 48 hours of the total of 60 hours of the course's hours. The evaluation model adopted is Evaluation Model B and includes the following evaluation elements:

Elements of evaluation:

1. Individual written test (frequency): with the evaluation of the contents programmed until the test date) (40% of the final grade).

2. Individual work - preparation of a pedagogical intervention proposal, that is, a training course / module for the place / service where they are to train, according to the needs diagnosed, and from which they should select a session and present to the group under the form of autoscopy (40% of the final mark).

3. Group work - theoretical work on topics raised from the themes of the program and defined together with the teacher (20% of the final grade).

Program Resume (get program detail)

1. Policies and training models.

2. The vocational training system in Portugal.

3. Concepts and fundamentals of vocational training.

4. Legal framework of vocational training.

5. Trainer's Professional Skills: new intervention focuses.

6. Types of training: initial and continuing.

7. Training modes.

8. Formative intervention procedures.

9. Management and coordination training.

10. Planning, management, organization, monitoring and evaluation of training.

11. Methodologies and definition of educational goals techniques.

12. Learning theory principles.

13. Strategies and teaching methods applied to public and diverse contexts.

14. Methods, techniques and communication styles.

15. Leadership styles and their effects on teaching practice.

16. Techniques of group dynamics and conflict management.

17. Types of training evaluation: diagnostic / initial, formative / summative and continuous / end.

18. Indicators and learning evaluation criteria.

19. Techniques and instruments of training evaluation.

Main Bibliography

Afonso, M. & Ferreira, F. (2007). O Sistema de Educação e Formação Profissional em Portugal - Descrição sumária. Luxemburgo: Centro Europeu para o Desenvolvimento da Formação Profissional.

Bárbara, L. (2009). Métodos e Técnicas Pedagógicas/Andragógicas. Edição FCA - Teto de Nuvens.

Barbier, J. M. (1993) A avaliação em formação. Porto: Afrontamento.

Cardim, L. (2000). A formação profissional nas organizações. (3.ª ed.). Coleção Formar Pedagogicamente. Lisboa: Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Ceitil, M. (2006). Gestão e desenvolvimento de competências. Lisboa: Edições Sílabo.

Ceitil, M. (2010). Tendências de evolução da Formação Profissional. Revista Formar n.º 71, pp. 41-42

Cristo, E. (2005). Como desenvolver atitudes e capacidades empreendedoras nos nossos formandos. Revista Formar n.º 51, pp. 33-39.

De Ketele, J. M. (1994). Guia do formador. Lisboa: Horizontes Pedagógicos.

Dias, J. (2004). A comunicação pedagógica. (6.ª ed.). Coleção Formar Pedagogicamente. Lisboa: Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Dias, J. (2009). Educação, o caminho para a nova humanidade - das coisas às pessoas aos valores. Porto: Papiro editora. 

Dias, J. M. (2000). Elaboração de Programas de Formação. Coleção Aprender. Lisboa: IEFP

Faustino, F.; Rocha, L. e Santos, M. F. (2008).  Pedagogia das competências e Mudança de Paradigma da educação-formação. Revista Formar n.º 65, pp. 33-36

Fernandes, D. (2005). Avaliação das Aprendizagens: Desafios às teorias, práticas e políticas. Cacém: Texto Editores.

Ferreira, P. T. (2007). Guia do Animador na Formação de Adultos. Coleção Pontos de Referência. Lisboa: Editorial Presença.

Landsheere, V. (1994). Educação e Formação. Porto: Edições Asa.

Lopes, A. (2010). Concepção e gestão da formação profissional contínua: da qualificação individual à aprendizagem organizacional. Mangualde: Pedago.

Malglaive, G. (2003). Ensinar adultos. Porto: Porto Editora.

Mão de Ferro, A. (2004). O método expositivo. (6.ª ed.). Coleção Formar Pedagogicamente. Lisboa: Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Marques, R.; Roldão, M. C. (2001). Inovação, Currículo e Formação. Coleção CIDINE. Porto: Porto Editora.

Marzano, R. J. & Kendall, J. S. (2008).  Designing & Assessing educational objectives: Applying to new taxonomy. Thousand Oak: Sage

Meignant, A. (1999). Gestão da Formação. Lisboa: Dom Quixote. 

Miranda, G. (2003). Psicologia da Aprendizagem. Lisboa: Universidade Católica Portuguesa.

Moreira, J. (2004). Questionários: Teoria e Prática. Lisboa: Almedina.

O?Connor, J.; Seymour, J. (2005). Introdução à Programação Neurolinguística: como entender e influenciar as pessoas. Coleção Psicologia. São Paulo: Editora Summus.

Oliveira, F. (2006). Plano de formação - Etapas e metodologias de elaboração. (4.ª ed.). Coleção Formar Pedagogicamente. Lisboa: Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Pacheco, J. A. (2011). Discursos e lugares das competências em contextos de educação e formação. Coleção Panorama. Porto: Porto Editora.

Pinheiro, J. & Ramos, L. (2005). Métodos pedagógicos. (4.ª ed). Coleção Aprender. Lisboa: Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Raseth, A. (2006). O perfil e funções do formador. (6.ª ed.). Coleção Formar Pedagogicamente. Lisboa: Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Rocha, J. (2006). Condições e factores de aprendizagem. (5.ª ed.). Coleção Formar Pedagogicamente. Lisboa: Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Rocha, J. A.; Dantas, J. Costa (2007).  Avaliação do desempenho e gestão por objetivos. Lisboa: Rei dos Livros.

Sampaio, J. (2006). Avaliação na formação profissional - Técnicas e instrumentos. (6.ª ed.). Coleção Formar Pedagogicamente. Lisboa: Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Santos, J. M. (2008). O formador moderno e a organização formadora. Almedina Editora.

Segurado, M. (2006). Animação de grupos e liderança. (4.ª ed.). Coleção Formar Pedagogicamente. Lisboa: Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Silva, A. (2003). Formação, Percursos e Identidades. Coimbra: Quarteto Editora.

Silva, A. (2007). Desafios contemporâneos para a Educação de Jovens e Adultos. Educar em Revista n.º 29, Jan-Jun 2007, pp. 15-28.

Simão, Ana M. e Freire, I. (2007). A gestão do conflito no processo formativo. Lisboa: Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Simões, A. (2008). A avaliação da formação. Revista Formar n.º 64. pp. 37-41.

Simões, E. e Rodrigues, J. (2010). Formação Outdoor: organização, métodos e instrumentos. Revista Formar n.º 72, pp. 42-45.

Stuart, R. (2000). Jogos para formadores - desenvolvimento de equipas. Lisboa: Ed. Monitor.

Tira-Picos, A. (2006). Avaliação da formação profissional. (3.ª ed.). Coleção Formar Pedagogicamente. Lisboa: Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Trindade, V. M. (2007). Práticas de Formação. Lisboa: Universidade Aberta.

Valente, A. C. (2007). O Futuro das qualificações em Portugal e a importância do Catálogo Nacional de Qualificações. Revista Formar n.º 58, pp. 16-19.

Other Biographical Sources / Support Documents

Resolução do Conselho de Ministros n.º 173/2007, de 7 de novembro - aprova a reforma da formação profissional.

Decreto-Lei n.º 396/2007, de 31 de dezembro - estabelece o regime jurídico do Sistema Nacional de Qualificações (SNQ) e define as estruturas que regulam o seu funcionamento.

Portaria n.º 214/2011, de 30 de maio - estabelece o regime de formação e certificação de competências pedagógicas dos formadores que desenvolvem a sua atividade no âmbito do Sistema Nacional de Qualificações.

Student Support

Friday from 17:30 to 19:30 (We request that interested students contact the teacher previously).

Associated Links

Comments

Sexta-feira das 17h30 às 19h30 (Solicita-se que os alunos interessados contactem previamente o docente).

Forum

Connect to Forum Formação ProfissionalLink Externo