Publication Date: 13/10/2020

Docentes da UMa participam em projeto para criar e disponibilizar repositório digital das traduções dos progymnasmata de Aftónio

Dois docentes da Faculdade de Artes e Humanidades da Universidade da Madeira, Joaquim Pinheiro e Cristina Santos Pinheiro, participam em projeto da área das humanidades, para o estudo dos progymnasmata europeus e para o desenvolvimento de uma plataforma digital que permita disponibilizar, de forma fácil e intuitiva, as principais traduções para o latim dos progymnasmata de Aftónio, realizadas por escritores e mestres dos séculos XVI e XVII.

Numa primeira fase, o projeto intitulado “Los Progymnasmata en la educación europea (XVI-XVII): de los manuales a la práctica en el aula” vai dar continuidade ao estudo dos progymnasmata europeus, de modo estabelecer a sua posição na tradição dos progymnasmata e a sua contribuição para a história do ensino da retórica e da formação do pensamento europeu. Posteriormente, irá disponibilizar, em versão digital, as principais traduções para o latim dos progymnasmata de Aftónio, realizadas por escritores e docentes dos séculos XVI e XVII.

Este projeto não se limita apenas ao estudo das regras da retórica e à sua aplicação na sala de aula. Visa também demonstrar a influência dos manuais utilizados na sala de aula, na configuração do pensamento de uma sociedade e na difusão dos seus valores.

Os membros da equipa de investigação estão particularmente interessados na forma como os ideais da época e os problemas sociais estavam refletidos nos manuais humanistas. Neste sentido, será dada particular atenção aos manuais escritos pelos humanistas para os seus alunos. Nestes manuais, é possível analisar o pensamento dos professores perante os problemas que assolaram a sua sociedade e a sua utilização como veículo transmissor de valores ou ideologias aos seus alunos. Os investigadores estão também empenhados em estudar a presença da Mulher nas obras para determinar se refletem uma ideia misógina das mesmas ou se os valores que refletem se dividem de acordo com o género ou aplicam-se igualmente a homens e mulheres.

Com uma duração de três anos, o projeto é liderado pela Universidad de Las Palmas de Gran Canaria e mereceu o financiamento do Ministério da Ciência, Inovação e Universidade de Espanha, através da Agência Estatal de Investigação, no valor de 18 mil euros.