Publication Date: 26/04/2020

UMa e Siemens AG desenvolvem projeto com aplicações energéticas

A Universidade da Madeira (UMa), através do Departamento de Física da Faculdade de Ciências Exatas e da Engenharia, e do Polo do Instituto de Plasmas e Fusão Nuclear (IPFN) do Instituto Superior Técnico na UMa, começou a desenvolver, em parceria com, e com financiamento, da Siemens AG (Erlangen, Alemanha), um novo projeto dedicado à investigação de arcos de vácuo, com aplicações a equipamentos energéticos. Será o segundo projeto de investigação com financiamento da indústria internacional de alta tecnologia em curso no Departamento de Física, sendo outro a estar a ser executado em parceria com a Schneider Electric (Grenoble, França).

O Departamento de Física da UMa tem também mantido contratos de investigação com diversas outras das maiores empresas internacionais de alta tecnologia nos últimos vinte anos, entre as quais destacamos Airbus Industries; Philips Technologie GmbH, Alemanha; General Electric Company, EUA; DaimlerChrysler AG, Alemanha; Asea Brown Boveri, Suécia-Suíça. Está ainda em curso uma colaboração com a CERN, Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (Genebra, Suíça), a qual é um dos maiores e mais respeitados centros de pesquisa científica do mundo.

Desde 2019, as atividades de investigação do Departamento de Física da UMa e do Polo do IPFN são financiadas em parte pelo projeto intitulado “PlasMa: teoria e simulação avançada de plasmas relevantes para aplicações energéticas”. Este financiamento foi atribuído pelo Instituto de Desenvolvimento Regional e cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) no âmbito do Programa Operacional da Região Autónoma da Madeira 2014-20. O projeto visa investigação fundamental orientada para as aplicações e tem como um dos principais objetivos fomentar a transferência de conhecimento da UMa para a indústria internacional de alta tecnologia. O financiamento do projeto PlasMa permitiu a contratação de três investigadores doutorados jovens e dinâmicos, dois dos quais, Diego Santos e Helena Kaufmann, lideram as investigações no âmbito dos projetos Schneider e Siemens, respetivamente.