Disciplina: Expressão Dramática

Área Científica:

Expressão Dramática

HORAS CONTACTO:

63 Horas

NÚMERO DE ECTS:

6 ECTS

IDIOMA:

Português

Objetivos Gerais:

Esta Unidade Curricular promove nos estudantes competências de intervenção na atividade de expressão dramática com crianças. e ainda as suas capacidades de:

- Analisar, pesquisar e refletir os conceitos teóricos relacionados com a expressão dramática / teatro;

- Criar, liderar e coordenar exercícios / jogos dramáticos, como meio facilitador da comunicação e expressividade da criança, aproveitando os recursos materiais e culturais que estão ao seu alcance; 

- Valorizar e perspetivar o trabalho de projeto de natureza educativa, enquanto dimensão coletiva e cultural, com criatividade e imaginação; 
- Experimentar, explorar e expressar emoções, sentimentos, vivências e ideias através de linguagens verbais e não-verbais, num contexto de expressão dramática; 
- Desenvolver e explorar as potencialidades gestuais, corporais, vocais, criativas e de espontaneidade; 
- Dominar com habilidade a manipulação dos objetos em diferentes modalidades de representação.

Conteúdos / Programa:

A atividade expressão dramática integra a articulação de diferentes saberes da aprendizagem das crianças, da criação do contexto pedagógico e do processo de criação dramática. Os conteúdos programáticos são geridos, desenvolvidos e transformados pelos estudantes ao longo de um semestre. Privilegia-se uma abordagem diversificada de experiências e vivências na expressão dramática. As atividades desenvolvidas têm por base as competências essenciais, da educação artística, na educação básica, desenvolvendo o futuro educador / professor enquanto pessoa e profissional de educação. Pretende-se planificar e desenvolver os jogos dramáticos, a partir de diferentes técnicas e materiais como a manipulação de fantoches, sombras chinesas, criação de histórias. Os estudantes refletem sobre o poder da imaginação, da criatividade, da espontaneidade e da comunicação nas diferentes fases de desenvolvimento e aprendizagem da criança.
 

Bibliografia / Fontes de Informação:

Aguilar, L. F. (2001). Expressão e Educação Dramática - guia pedagógico para o 1º ciclo do Ensino Básico. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional.
Beja, F., Topa, J., & Madureira, C. (1999). Jogos projetos de Expressão Dramática. Porto: Porto Editora.
Berge, Y. (1975). Viver o seu corpo - Para uma pedagogia do movimento. Lisboa: Socicultur Divulgação Cultural.
Brazão, L. L. (s. d.). Brinquedos Tradicionais Cantados - Lengalengas e Trava-línguas. Porto: Editorial O Livro.
Brock, A. (2011). O currículo e a pedagogia da brincadeira - uma profusão de perspectivas. In A. Brock, Dodds,S., & Olusoga, Y. (Ed.), Brincar - Aprendizagem para a vida (pp. 94-126). Porto Alegre: Penso.
Cabral, A. (2002). O mundo fascinante do jogo. Lisboa: Editorial notícias.
Costa A., Baganha F. (1989). O Fantoche que Ajuda a Crescer. Porto: Edições Asas.
Craft, A., Estrela, A., Morais, F. [et al]. (2004). Criatividade e educação. Lisboa: Associação educativa para o desenvolvimento da criatividade.
Cunha, M. (2008). Expressão dramática na educação. Braga: Edições APPACDM.
França, A., & Brazão, P. (2008). Não escolarizem a Expressão Dramática! - uma reflexão sobre a vivência desta forma de expressão enquanto atividade autêntica. Paper presented at the IV Colóquio DCE - UMa - Políticas educativas: discursos e práticas.
Giroux, H., & Simon, R. (1994). Cultura popular e pedagogia crítica: a vida cotidiana como base para o conhecimento curricular. In A. Moreia, & T. Silva (Ed.), Currículo, cultura e sociedade (pp. 93-124). São Paulo: Cortez Editora.
Haselbach B. (1989). Dança Improvisação e Movimento. Rio de Janeiro: Livro Técnico S.A.
Koudela, I. D. (2001). Jogos Teatrais. São Paulo: Ed. Perspetiva S.A.
Ladeira, I. & Caldas, S. (1993). Fantoche & CIA. São Paulo: Scipione.
Landier, J. C. & Barret, G. (1994). Expressão Dramática e Teatro. Lisboa: Edições Asa, Coleção Práticas Pedagógicas.
Melo, M. (2005). A Expressão Dramática - à procura de percursos. Lisboa: Livros horizonte. 
Neto, C. (1997). Jogo e Desenvolvimento da Criança. Lisboa: Edições FMH, Universidade Técnica de Lisboa. 
Nóvoa, A. (1989). Uma pedagogia à flor da pele: da Expressão Dramática ao Teatro e vice-versa. Cadernos de Arte e Educação - Percursos, 1, 5-16. 
Porcher, L. (1982). Educação Artística: luxo ou necessidade? São Paulo: Summus. Reis, L. (2005). Expressão Corporal e Dramática. Lisboa: Editora Sete Caminhos. Ryngaert, J. P. (1981). O Jogo Dramático no Meio Escolar. Coimbra: Centelha. Rosa L., Calado F. (1995). Brincando com as expressões: Dramática, Musical, Plástica. Porto: Porto Editora. 
 

Métodos e Critérios de Avaliação:

Desenvolvemos uma prática reflexiva sobre o papel da expressão dramática / teatro na educação básica. Os estudantes têm a oportunidade de experimentar e criar exercícios de Expressão Dramática / Teatro, usando materiais e sugestões metodológicas discutidas na aula, de forma a permitir a reflexão dos conceitos do domínio da expressão dramática / teatro. 

A avaliação aproxima-se do modelo E do regulamento de avaliação da aprendizagem da Universidade da Madeira. Consideramos importante a participação dos formandos em todas as atividades desenroladas nas aulas teóricas e práticas. A ponderação das componentes da avaliação é a seguinte: 
- Participação em todas as atividades desenvolvidas durante o tempo de aula - 10%
- Trabalho de pares: A planificação e intervenção, antes, durante e depois da ação, de uma atividade de expressão dramática. - 25%
-Trabalho Individual: Resposta a um conjuto de questões. - 25%
- Trabalho de grupo. - 40%
 
Salientamos que a ponderação das componentes de avaliação e a estruturação dos trabalhos a desenvolver são aspetos negociados com os alunos.