Disciplina: Fauna Terrestre

Área Científica:

Ciências do Ambiente

HORAS CONTACTO:

70 Horas

NÚMERO DE ECTS:

5,5 ECTS

IDIOMA:

Português

Objetivos Gerais:

No fim da disciplina, os alunos devem:

- Saber identificar e caracterizar os principais grupos (taxa) de Invertebrados e de Vertebrados

- Saber a distribuição das principais espécies.

- Saber as principais origens das espécies e as relações com as espécies continentais.

- Saber reconhecer e identificar os endemismos.

- Saber identificar as ameaças sobre as espécies ameaçadas e os impactos das introduzidas.

Conteúdos / Programa:

1. Principais grupos de invertebrados terrestres da Região Autónoma da Madeira
a. Biodiversidade dos insectos
b. A importância dos insectos
c. Principais grupos de insectos na Madeira
i. Caracterização biológica e ecológica
ii. Como identificar os principais taxa
iii. Distribuição dos principais grupos
d. Biodiversidade de Moluscos e outros grupos de invertebrados
2. Principais grupos de Vertebrados terrestres da Região Autónoma da Madeira
i. Caracterização biológica e ecológica
ii. Como identificar os principais taxa
iii. Distribuição dos principais grupos
3. Particularidades da fauna de insular
4. Aspectos zoogeográficos das principais espécies de animais. Afinidades da fauna madeirense.
5. As espécies nativas e as endémicas. Estado das populações e ameaças
6. Caracterização geral das espécies introduzidas e a sua influência e impactos no ambiente natural
7. Fauna versus actividades ecoturísticas: os exemplos do Birdwatching e da observação e identificação de borboletas.

Bibliografia / Fontes de Informação:

Araújo, R. et al. (2009). Aranhas do Arquipélago da Madeira. Museu Municipal do Funchal

Berenbaum, M. (1996). Bugs in the system : insects and their impact on human affairs.  Helix Books.

Biscoito, M. & Zino, F. (2002). Aves do Arquipélago da Madeira. Colecção: Biodiversidade Madeirense: Avaliação e Conservação. Nº 3. Direcção Regional de Ambiente. Funchal

Borges, P. et al. (eds) (2008). A list of the terrestrial fauna and flora from Madeira. Direcção Regional do Ambiente da Madeira and Universidade dos Açores, Funchal  and Angra do Heroísmo. 438 pp.

Cabral, M. et.al. (eds.) (2006). Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal. Instituto da Conservação da Natureza. Lisboa

Câmara, D. (1997). Guia de campo das aves do Parque Ecológico do Funchal e do Arquipélago da Madeira. Associação dos Amigos do Parque Ecológico do Funchal. Funchal.

Chinery, M. C. (1993) Collins field guide insects of Britain & Northern Europe .

Clark, T. (2006). Field Guide to the Birds of the Atlantic Islands: Canary Islands, Madeira, Azores, Cape Verde. Christopher Helm. London.

Corbet, G. & Ovenden, D. (1982). Manual de los mamíferos de España y de Europa. Ediciones ómega, S. A., Barcelona.

Ferrand de Almeida, N. et.al. (2001). Anfíbios e Répteis de Portugal. Guias FAPAS. FAPAS (Fundo para a Protecção dos Animais Selvagens). Porto.

Garcia-del-Rey, E. (2011). Field Guide to the Birds of Macaronesia: Azores, Madeira, Canary Islands, Cape Verde. Lynx Ediciones. Barcelona.

Jesus, J. et.al. (2009). Vertebrados terrestres autóctones dos Arquipélagos da Madeira e Selvagens. Direcção Regional de Ambiente. Funchal.

Loureiro, A. et.al. (eds)(2008). Atlas dos Anfíbios e Répteis de Portugal. Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade. Lisboa

Macdonald, D. & Barret, P. (1999). Mamíferos de Portugal e Europa. INOVA. Porto.

Masseti, M. (2010). Mammals of the Macaronesian islands 8the Azores, Madeira, the Canary and Cape Verde islands): redefinition of the ecological equilibrium?, Mammalia, vol.74, 2010, pp. 3-34.

Mathias, M. et.al. (1999) - Guia dos Mamíferos Terrestres de Portugal Continental, Açores e Madeira. Instituto de Conservação da Natureza. Lisboa

Oliveira, P. & Menezes, D. (2004). Aves do Arquipélago da Madeira. Serviço do Parque Natural da Madeira. Funchal.

Pereira, E. (1989). Ilhas de Zargo. 4ª Ed. Câmara Municipal do Funchal

Romano, H. (2010). Birds of the archipelagos of Madeira and the Selvagens. II- New records and checklist update (1995-2010). Boletim do Museu Municipal do Funchal, 60: 5-44.

Sarmento, A.(1948). Vertebrados da Madeira. Junta Geral do Distrito Autónomo do Funchal. 2ª ed.

Serrano A. et al. (2010) Terrestrial arthropods of Macaronesia ? biodiversity, ecology and evolution, 327 pp.

Svensson, L. et al. (2009). Colins Bird Guide: The most complete guide to the birds of Britain and Europe, 2ª ed.. HarperCollins Publishers. London.

Teixeira, D. & Abreu, C. (2003). Moluscos Terrestres da Ponta de São Lourenço e Ilhéus adjacentes. Direcção Regional do Ambiente. Funchal. 122 pp.

Upton, M.S.  (1991). Methods for collecting, preserving, and studying insects and allied forms. 

Zakowski, C. (2000). Insects on display : a guide to mounting and displaying insects . Rainbow Books, Inc.

Wakeham-Dawson A. et al. (2001). Guia de Campo das Borboletas Diurnas do Parque Ecológico do Funchal e do Arquipélago da Madeira. Câmara Municipal do Funchal. Funchal

Websites:

Atlas das Aves do Arquipélago da Madeira: http://www.atlasdasaves.netmadeira.com/

Avibase: http://avibase.bsc-eoc.org/avibase.jsp?lang=PT&pg=home 

?100 of the World's Worst Invasive Alien Species?: http://www.issg.org/database/species/search.asp?st=100ss

Métodos e Critérios de Avaliação:

1º teste- 50%

2º teste-25% 

1 coleção de insectos (25%)

Cada teste terá uma componente mais teórica e outra mais prática:

  -Nos testes são também efetuadas questões sobre as saídas/trabalho de campo/Práticas laboratoriais.

 

Assiduidade: Presença obrigatória nas saídas/trabalhos de campo.

 

NOTA MÍNIMA DOS TESTES: 8 Valores, em todas as componentes/testes

NOTA MÍNIMA DO TRABALHO (incluindo perguntas sobre o trabalho): 9 Valores (anulado devido ao COVID)

O TRABALHO NÃO PODE SER RECUPERADO EM RECURSO  (anulado devido ao COVID)

 

Com as limitações devido ao COViD, eliminou-se a colecção de insectos, ficando a avaliação composta por duas componentes:

1º teste- 50% 

2º teste-50% (inclui, entre outras, a parte dos insectos)