Disciplina: Ecologia, Ordenamento e Conservação da Natureza

Área Científica:

Ciências do Ambiente

HORAS CONTACTO:

76 Horas

NÚMERO DE ECTS:

6 ECTS

IDIOMA:

Português

Objetivos Gerais:

No fim desta disciplina, os alunos devem:

- Saber definir e caracterizar populações, comunidades e ecossistemas da Região Autónoma da Madeira.

- Saber as particularidades dos ecossistemas insulares.

- Saber onde se localizam, a razão de ser, e as características das principais áreas protegidas da RAM.

- Saber inventariar, recensear e determinar a distribuição de espécies de plantas e de animais.

- Perceber a importância da Conservação da Natureza.

- Perceber as principais estratégias e planos de conservação

- Saber definir e caracterizar as principais Diretivas comunitárias e internacionais, assim como a principal legislação relacionada com a Conservação da Natureza.

Conteúdos / Programa:

1. Conceito de Ecologia
2. Indivíduos e Populações
a. Populações: Variáveis de estado; Demografia; Distribuição; Estrutura populacional
b. Factores ecológicos.
3. Ecossistemas
a. Conceito, componentes e estrutura funcional. Processos dinâmicos de ecossistemas e distúrbios; capacidade de carga.
b. Desenvolvimento, evolução e distribuição no espaço
c. Particularidades dos ecossistemas insulares
d. Os ?ecossistemas? da Madeira (incluindo também ecossistemas dulceaquícolas)
i. Ecossistemas naturais e antrópicos;
ii. Principais comunidades. Localização e caracterização
4. Ecologia aplicada
a. Metodos e técnicas de censos, inventariação e distribuição de plantas e animais
5. Conceito e importância da biodiversidade.
6. Conservação do património e dos recursos naturais; Caracterização e importância dos parques e reservas naturais.
7. Conservação e planeamento.
8. Estatutos de conservação das espécies da Região Autónoma da Madeira
9. Projetos e programas de Conservação da Natureza a decorrer na Região Autónoma da Madeira.
10. Instrumentos de protecção legal e aproximação às legislações nacionais de áreas protegidas, e experiências mais recentes. Áreas protegidas em Portugal.

Bibliografia / Fontes de Informação:

Capelo, J.; Costa, J.; Jardim, R.; Sequeira, M.; Fontinha, S.; Lousã, M. & Rivas-Martínez, S. (2004). Modelo fitossociológico da laurissilva da Ilha da Madeira. 3as Jornadas Florestais Insulares. Livro de Resumos. p. 41. [Publicado em Acta de Conferência (Nacional/Internacional)]

Capelo, J.; Menezes de Sequeira, M.; Jardim, R. & Costa, J. (2004). Guia da Excursão geobotânica dos V Encontros Alfa 2004 à ilha da Madeira. Quercetea 6: 5-45.

Carlquist, (1966). The Biota of long-distance dispersal. I. Principles of dispersal and evolution. The Quat. Rev. Of Biol. 41(3): 247-270.

Carlquist, S. (1974). Island Biology. Columbia University Press. New York.

osta, J.; Capelo, J.; Jardim, R. & Menezes de Sequeira, M. (2004). Catálogo Florístico da Ilha da Madeira. Quercetea 6: 187-200.

Costa, J.; Capelo, J.; Jardim, R.; Menezes de Sequeira, M.; Espírito-Santo, D.; Lousã, M. Fontinha, S.; Aguiar, C. & Rivas-Martínez, S. (2004). Catálogo Sintaxonómico e florístico das comunidades vegetais da Madeira e Porto Santo. Quercetea 6: 61-186.

Duvigneaud, P. (1980). A Síntese Ecológica. 2ª ed. Instituto Piaget. Lisboa.

Frankham, R.; Ballou, J.; Briscoe, D. & McInnes, K. (2004). A primer of conservation genetics. Cambridge University Press. Cambr

Grant, P. (ed.) (1998). Evolution on islands. Oxford University Press.

Jardim, R., Menezes de Sequeira, M. & Capelo, J. (2007). Espécies florestais das ilhas - Madeira. In: Silva, J. (ed.). Árvores e Florestas de Portugal. Volume 6, Açores e Madeira - A Floresta das Ilhas. Público, Comunicação Social SA, Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento e Liga para a Protecção da Natureza: Pp. 255-296.

Krebs, C. (1994). Ecology. The Experimental Analysis of Distribution and Abundance. 4ª ed. Harper Collins College Publishers.

Menezes de Sequeira, M.; Jardim, R. & Capelo, J. (2007). A Chegada dos portugueses às ilhas- o antes e o depois - Madeira. In: Silva, J. (ed.). Árvores e Florestas de Portugal. Volume 6, Açores e Madeira - A Floresta das Ilhas. Público, Comunicação Social SA, Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento e Liga para a Protecção da Natureza: 165-196.

Prada, S. & Menezes de Sequeira, M. (2007). Importância das Florestas da Madeira na Captação da Água dos Nevoeiros. In: Silva, J. (ed.). Árvores e Florestas de Portugal. Volume 6, Açores e Madeira - A Floresta das Ilhas. Público, Comunicação Social SA, Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento e Liga para a Protecção da Natureza: 111-118.

Rocha Pité, M. & Avelar, T. (1996). Ecologia das populações e das comunidades- Uma abordagem evolutiva do estudo da biodiversidade. Fundação Calouste de Gulbenkian. Lisboa.

Sutherland, W. (1996). Ecological census techniques. A handbook. Cambridge University Press.

Vitousek, P.; Loope, L. & Adsersen, H. (eds)(1995). Islands. Biological Diversity and Ecosystem Function. Ecological Studies 115. Springer-Verlag. Berlin. Heidelberg.

Whittaker, R. & Fernández-Palacios (2007). Island Biogeography. 2nd ed. OUP, Oxford.

 

Websites:

Instituto da conservação da Natureza e das Florestas: http://www.icnf.pt/cn/ICNPortal/vPT2007/

Serviço do parquet Natural da Madeira: http://www.pnm.pt/

Direção Regional de Florestas e Conservação da Natureza: http://www.sra.pt/drf/

Métodos e Critérios de Avaliação:

Avaliação

-1 teste (50%)
-1 teste sobre saídas de campo da parte da vegetação (25%) 
-1 relatório das saídas de campo da parte da fauna (25%) *

* (trabalho de grupo de 2, máximo 3 alunos). O trabalho de grupo será desenvolvido no campo (TC) e, no caso da necessidade de tratamento de dados, em algumas TPs, serão dadas indicações/orientações para este tratamento

Assiduidade: Presença obrigatória nas saídas/trabalhos de campo.

Aproveitamento: Nota mínima em cada teste/frequência: 9,0.

 

Com as limitações devido ao COViD, eliminou-se o relatório, ficando a avaliação composta por duas componentes:

1º teste- 50% 

2º teste-50% (sobre as saídas/trabalho de campo)