Data de publicação: 21/11/2018

Encontros TRANSLOCAL com o Mediterrâneo

Entre os dias 22 e 24 de novembro de 2018, o projeto TRANSLOCAL. Culturas Contemporâneas Locais e Urbanas, integrado no Centro de Investigação em Estudos Regionais e Locais da Universidade da Madeira e desenvolvido em parceria com a Câmara Municipal do Funchal, promove, no Funchal e Ponta do Sol, a 1.ª edição dos ENCONTROS TRANSLOCAL COM O …, desta vez dedicados ao Mediterrâneo.

Tomando como mote as palavras de Hélia Correia em “A Terceira Miséria” e não esquecendo nem os étimos latinos que se inscrevem na história do topónimo Mediterrâneo - Mare Nostrum [o nosso mar] e Mediterraneum mare [o mar que está entre terras] -, nem a complexidade cultural e política que, ao longo de séculos teceu/tece a malha dessa geografia ecossociocultural, os ENCONTROS TRANSLOCAL COM O MEDITERRÂNEO procurarão refletir sobre o que é, hoje, o Mediterrâneo.

Integrando duas conversas com artistas convidados, a projeção de um documentário, uma exposição de fotografia com instalação sonora e um concerto de bolso, os ENCONTROS TRANSLOCAL COM O MEDITERRÂNEO contam com a participação de dois projetos internacionais que, associando pesquisa e criação artística, tomaram o Mediterrâneo como foco de reflexão: o projeto O MEDITERRÂNEO SOMOS NÓS de Filipe Reis, Filipe Ferraz e Emiliano Dantas (2018), apresentado no dia 22.11.2018, na Sala de Sessões da Escola Secundária Francisco Franco e na Galeria de Arte de Francisco Franco; o projeto ARCHiPELAGOS - Passagens de Amélia Muge e Michales Loukovikas (2017), que será apresentado no dia 24.11.2018, no Auditório do Centro Cultural John dos Passos, na Ponta do Sol.

Com a promoção desta primeira edição dos ENCONTROS TRANSLOCAL COM O MEDITERRÂNEO procura-se contribuir para esse exercício de resistência à ‘terceira miséria’ anunciada por Hélia Correia, desafiando as comunidades locais e os visitantes insulares a escutar, a relembrar e a interrogarem-se sobre a densidade transcultural e a instabilidade translocal que caracterizam essa região e as respetivas culturas, afinal tão próximas da Madeira, quer do ponto de vista geográfico, quer do ponto de vista histórico, político e antropológico.

Esta 1.ª edição dos ENCONTROS TRANSLOCAL COM O MEDITERRÂNEO resulta de um trabalho de cooperação e apoio entre várias instituições locais, regionais e nacionais: Associação Musical e Cultural Xarabanda; Câmara Municipal do Funchal; Centro de Investigação em Estudos Regionais e Locais da Universidade da Madeira; Centro em Rede de Investigação em Antropologia (neste caso também apoiado pelo INATEL e pelo CIOFF); Estalagem da Ponta do Sol; Galeria de Arte Francisco Franco; Plano Nacional de Cinema (equipa da Escola Secundária de Francisco Franco); Secretaria Regional de Educação (através da Direção de Serviços de Educação Artística e Multimédia); Secretaria Regional de Turismo e Cultura (através do Centro Cultural John dos Passos).