Disciplina: Gestão de Projetos em Educação

Área Científica:

Educação

HORAS CONTACTO:

63 Horas

NÚMERO DE ECTS:

7,5 ECTS

IDIOMA:

Português

Objetivos Gerais:

Pretende-se que o Aluno adquira de forma compreensiva e integrada, os fundamentos científicos necessários para a construção de projetos de intervenção educativa, devendo para tal:

- Identificar as etapas na construção dum projeto de intervenção educativa.

- Reconhecer a organização político-administrativa da educação escolar, relacionando-a com a organização curricular do sistema educativo português.

- Promover a capacidade crítica e o espírito inovador em matérias de política educativa.

- Compreender a dinamicidade do Projeto na gestão estratégica do espaço escolar.

Conteúdos / Programa:

1. Visão, Missão e Valores: a identidade organizacional.

2. Gestão estratégica, gestão da mudança e aprendizagem organizacional.

3. Trabalhar por Projetos em Educação: etapas e processos de construção.

4. O Projeto Educativo e a Autonomia das Escolas.

5. Teoria Crítica e Projeto Educativo de Escola.

6. Imagens Organizacionais da Escola.

7. Lideranças e Climas Organizacionais.

8. Saberes necessários à prática educativa/formativa.

Bibliografia / Fontes de Informação:

Alves, J. M. (2003). Organização, gestão e projetos educativos das escolas. (6.ª ed.). Porto: Edições ASA.

Azevedo, J. (1999). Voos de borboleta. Escola, trabalho e profissão. Porto: Edições ASA.

Barbier, J. M. (1991). Elaboração de projetos de ação e planificação. Porto: Porto Editora.

Barroso, J. (2005). Políticas educativas e organização escolar. Lisboa: Universidade Aberta.

Carapeto, C. & Fonseca, F. (2006). Administração Pública. Modernização, Qualidade e Inovação. (2.ª ed.). Lisboa: Edições Sílabo.

Carvalho, A. (Org.). (1993). A construção do projeto de escola. Porto: Porto Editora.

Carvalho, A. & Diogo, F. (2001). Projeto educativo. (4.ª ed.). Porto: Edições Afrontamento.

Cortesão, L. & Leite, C., & Pacheco, J. A. (2002). Trabalhar por projetos em educação. Uma inovação interessante?. Porto: Porto Editora.

Costa, J. A. (2003). Imagens organizacionais da escola. (3.ª ed.). Porto: Edições ASA.

Costa, J. A. (2003). Projetos Educativos de Escola: um contributo para a sua (des)construção. Revista Educação & Sociedade, 24 (85), 1319-1340. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v24n85/a11v2485.pdf

Diogo, F. (1998). Por um projeto educativo de rede. Porto: Edições ASA.

Eurydice. (2007). O Sistema Educativo em Portugal. Disponível em: http://www.eurydice.org.

Fontoura, M. (2006). Do projeto educativo de escola aos projetos curriculares. Fundamentos, processos e procedimentos. Porto: Porto Editora.

Fraga, N. (2008). Dinâmicas no microcosmo social: o eclipse identitário. In Christine Escallier e Nelson Veríssimo (Org.) Educação e Cultura. Funchal: Grafimadeira, pp. 281-290

Fraga, N. & Correia, C. (2013). O Projeto ?Eu Participo?. Revista Internacional de Educación para la Justicia Social, 2(1), 93-118.

Freire, P. (2009). Pedagogia da Autonomia. (39.ª ed). São Paulo: Paz e Terra.

Fullan, M. (2003). Liderar numa Cultura de Mudança. Porto: Asa Editores.

Landsheere, G. (1997). A pilotagem dos sistemas de educação. Porto: Edições ASA.

Lima, L. (1998). A escola como organização e a participação na organização escolar. (2.ª ed.). Braga: Centro de Estudos em Educação e Psicologia, Instituto de Educação e Psicologia da Universidade do Minho.

Monteiro, M. (2007). Área de Projeto - 12.º Ano. Porto: Porto Editora.

Nóvoa, A. (1990). Análise da instituição escolar: relatório da disciplina de análise da instituição escolar. Lisboa: Universidade de Lisboa.

Pinar, W. (2007). O que é a Teoria do Currículo?. Porto: Porto Editora.

Raynal, S. (2000). A Gestão por Projecto. Lisboa: Instituto Piaget.

Santos Guerra, M. (2002). Entre bastidores: o lado oculto da organização escolar. Porto: Edições ASA.

Santos Guerra, M. (2003). No coração da escola. Porto: Edições ASA.

Silva, S. et al.. (2008). Liderança Escolar: qualidade que se aprende e desenvolve. In Alice Mendonça e António V. Bento (Org.) Educação em Tempo de Mudança. Funchal: Grafimadeira, pp. 115-127.

Sousa, J. M. (2000). O Professor como Pessoa. Porto: Edições ASA.

Tomlinson, C. & Allan, S. (2002). Liderar projetos de diferenciação pedagógica. Porto: Edições ASA.

Trilla, J. (2004). Animação Sociocultural. Teorias, programas e âmbitos. Lisboa: Instituto Piaget. Horizontes Pedagógicos.

Whitaker, P. (2000). Gerir a mudança nas escolas. Porto: Edições ASA.

Zabalza, M. (2003). Planificação e Desenvolvimento Curricular na escola. (7.ª ed.). Porto: Edições ASA.

Métodos e Critérios de Avaliação:

A avaliação da aprendizagem dos alunos é processual e contínua e pressupõe uma frequência mínima obrigatória de 80% das aulas lecionadas, o que equivale a 48 horas do total de 60 horas da carga horária da disciplina. O modelo de avaliação adotado é o Modelo de Avaliação A e inclui os seguintes elementos de avaliação:

 

Elementos de avaliação:

1. Prova escrita individual (frequência): com a avaliação dos conteúdos programados lecionados até à data do teste) (45% da nota final). A nota mínima para aprovação nesta UC é de 9,5 valores neste elemento de avaliação.

2. Trabalho de grupo (escrito e apresentado oralmente): trabalho de aprofundamento teórico de assuntos suscitados a partir dos temas do programa e definidos em conjunto com o docente (45% da nota final). A nota mínima para aprovação nesta UC é de 9,5 valores neste elemento de avaliação.

3. Observação direta da participação/intervenção dos alunos sobre todas as atividades desenroladas na aula (10% da nota final).

Regente da Disciplina:

Sofia Micaela Castro da Silva