Disciplina: Processamento e Conservação de Produtos Agrícolas

Área Científica:

Indústrias Alimentares

HORAS CONTACTO:

57 Horas

NÚMERO DE ECTS:

4,5 ECTS

IDIOMA:

Português

Objetivos Gerais:

Compreender a importância da tecnologia pós ‐colheita, nomeadamente o processamento e conservação dos produtos agrícolas.

Conhecer e distinguir as diferentes metodologias de conservação e transformação, e identificar as metodologias de conservação e transformação adequadas aos princípios do modo de produção biológica.


Conhecer e compreender a legislação específica referente ao processamento, conservação e transformação de produtos agrícolas em modo de produção biológico


Mobilizar correctamente os conhecimentos adquiridos.


Desenvolver capacidades para interpretar, avaliar, decidir e intervir responsavelmente em situações relacionadas com a futura actividade profissional.


Desenvolver e demonstrar iniciativa, autonomia e hábitos de trabalho.

Conteúdos / Programa:

A importância da tecnologia pós ‐colheita em hortofrutícolas, nomeadamente para o processamento e conservação destes produtos.  Compreender o processamento de produtos de origem animal. Conhecer e distinguir as diferentes metodologias  e tecnologias de conservação e transformação, e identificar as metodologias de conservação e transformação adequadas aos principios do modo de produção biológica. Saber aplicar a metodologia de conservação e/ou transformação selecionada, executando as operações tecnológicas inerentes à mesma. Relacionar o tempo de vida do produto com a qualidade da matéria prima e da tecnologia de conservação e transformação adequada.
Conhecer e compreender a legislação específica referente ao processamento, conservação e transformação de produtos agrícolas em modo de produção biológico.

Bibliografia / Fontes de Informação:

As bases da Agricultura Biológica. Tomo 1 ‐ Produção Vegetal (2012). 2ª Edição. Jorge Ferreira (coordenador). EDIBIO edições Lda.
Ferreira, WFC, Sousa, JCF, Lima, N (2010). Microbiologia. Lidel ed. técnicas, Lisboa
Pinto PMZ, Morais, AMMB (2000). Boas prácticas para a conservação de produtos hortofruticolas. ESB/UCP. pp 32
Van Berkel BM,van den Boogaard B, Heijnen C (2005). Conservação de peixe e carne. Fundação Agromisa, Wageningen. pp 97
Clark S, Jung S, Lamsal B (2013). Food Processing: Principles and applications, 2nd edition. Wiley Blackwell.
DaveD., Ghaly A.E (2011). Meat spoilage mechanisms and preservation techniques: a critical review. American Journal of Agricultural and

Métodos e Critérios de Avaliação:

1) A avaliação da UC  em época normal será efetuada na componente teórica e prática, em que a componente teórica terá um peso de 40% da nota final e a componente prática terá um peso de 60% da nota final na UC.

1.1) A avaliação da componente teórica (TP) será efetuada através de uma frequência (teste escrito), que terá um peso de 40% na nota final. Na frequência, haverá uma componente da responsabilidade do dr. Filipe Ganança, correspondendo a 50% da nota da mesma, e uma componente da responsabilidade da dr.ª Marta Rodrigues, correspondendo aos restantes 50% da nota teórica

1.2) A avaliação da componente prática terá um peso de 60% da nota final da UC, e será feita em 3 momentos:

1.2.1) Através da entrega de relatórios das aulas práticas (PL e TC), prevendo-se a entrega de 2 relatórios por aluno, 1 da responsabilidade do dr. Filipe Ganança, e 1 da responsabilidade da dr.ª Marta Rodrigues. A média das notas dos relatórios corresponderá a 50% da nota da componente prática (30% da nota final da UC)

1.2.2) Através da elaboração de um trabalho final de grupo sobre um tema relevante para a temática da UC, na forma escrita. Esta componente terá um peso de 25% na nota prática final (15% da nota final da UC).

1.2.3) Através da apresentação oral de um seminário, realizada em grupo, sobre um tema relevante para a temática da UC. Esta componente terá um peso de 25% na nota prática final (15% da nota final da UC)

2) Recurso: caso o aluno não obtenha a nota mínima de 10 na soma das duas componentes teórica e prática na época normal, terá a hipótese de recuperar 100% da nota em exame de recurso. Se não tiver obtido aprovação apenas na componente teórica, o exame será apenas de natureza teórica. Se não tiver obtido aprovação apenas na componente prática, o exame (escrito) será apenas de natureza prática. Se não tiver obtido aprovação em nenhuma das componentes, o exame de recurso terá ambas os componentes.