Disciplina: Saúde Ambiente e Lazer

Área Científica:

Turismo e Lazer

HORAS CONTACTO:

51 Horas

NÚMERO DE ECTS:

4 ECTS

IDIOMA:

Português

Objetivos Gerais:

OBJETIVOS GERAIS Organizar, planear, implementar, utilizar e avaliar planos de atividades de desporto e de lazer, através de equipamentos, métodos e tarefas adequadas às necessidades da população alvo, em diferentes contextos. Conhecer, por via da compreensão dos principais fenómenos e das principais variáveis, o domínio da terminologia comum às várias áreas do conhecimento que se cruzam no estudo do Desporto com o Turismo e a Saúde; Relacionar os conceitos teóricos adquiridos com situações concretas caraterísticas das práticas do Turismo na sua vertente desportiva. 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS - Conceber e implementar atividades desportivas. 

- Elaborar o planeamento de atividades desportivas, de lazer e bem-estar; 

- Executar e implementar planos de atividades desportivas, de lazer e bem-estar; 

- Montar e utilizar equipamentos específicos do desporto, de lazer e bem-estar; 

- Gerir a intervenção de forma ajustada às necessidades dos diferentes tipos de população alvo, aplicando os meios, os métodos e as tarefas mais adequados.

Conteúdos / Programa:

Os conteúdos programáticos estão em coerência total com os objetivos da unidade curricular, iniciando-se com a abordagem concetual, conceitos gerais e relação entre conceitos, sobre a saúde, ambiente e lazer, descrevendo-se os modelos teóricos. O domínio de métodos e instrumentos de abordagem da UC, impõe um caráter eminentemente teórico-prático, relacionando os conceitos teóricos adquiridos com situações concretas caraterísticas das práticas da Saúde e Lazer, em particular o turismo de saúde na relação com o desporto e na perspetiva da saúde, bem-estar e qualidade de vida.

Bibliografia / Fontes de Informação:

ACIF - Câmara de Comercício e Industria do Funchal (2015). Documento Estratégico para o Turismo na RAM (2015-2020). Funchal ACIF - Câmara de Comercício e Industria do Funchal (2015). Plano Referêncial Estratégico Mar da Madeira 2030. Funchal


BARATA, T. (1997). Benefícios da actividade física na saúde. In Barata, T. ed. (1997). Actividade Física e Medicina Moderna (pp. 133-144). Odivelas: Europress.

BENTO, J. (1991). Desporto, Saúde; Vida. Em Defesa do Desporto. Cultura Física. Livros Horizonte, Lisboa.

CONSTANTINO, J. (1998). A Actividade Física e a Promoção da Saúde das Populações. A Educação Para a Saúde: O Papel da Educação Física na promoção de estilos de vida saudáveis. Colecção Ciências do Desporto, nº 1: 19-38. SPEF.

LOVISOLO H. (2000). A Actividade Física, Educação e Saúde. Rio de Janeiro: Sprint. KANTERS, M.; MONTELPARE, W.;

CARTER, M. (1994). Enabling healthy life through leisure. Journal of Physical Education, Recreation & Dance. April, pp. 24-27. In: MOTA, J. (1997). A actividade física no lazer - Reflexões sobre a sua prática. Colecção Cultura Física. Livros Horizonte. Lisboa.

MOTA, J. (1997). A actividade física no lazer - Reflexões sobre a sua prática. Colecção Cultura Física. Livros Horizonte. Lisboa.

MOTA J. A atividade física como promoção de saúde. IX Seminário Internacional sobre Atividades Físicas para a III Idade. 21 a 23 de maio de 2007.

Florianópolis, SC. NAHAS, M.V. (2001). Actividade Física, Saúde e Qualidade de Vida: conceitos e sugestões para um estilo de vida activo. Londrina ? PR.: Midiograf.

NUNES, L. (1999). A Prescrição da Actividade Física. Editorial Caminho, Lisboa.

NUNES, P. (2010). Desporto, Turismo e Ambiente - O Turismo de Natureza como Pólo de Atracção Turistica Complementar ao Produto Sol & Mar na Sub-região do Alentejano Litoral. Lisboa: FMH/ UTL (Tese de doutoramento).

PIÉRON, M. (1998). Actividade Física e Saúde, um desafio para os profissionais de Educação Física. A Educação Para a Saúde: O Papel da Educação Física na promoção de estilos de vida saudáveis. Colecção Ciências do Desporto, no 1: 41-80.

PIDDAR, Plano e Programa de Investimentos e Desenvolvimento da Região Autónoma da Madeira, Dezembro 2019

PIRES, G. (1992). Espaços Naturais e Desportos de Aventura. Actas do Congresso Europeu Desporto para Todos: Os Espaços e os equipamentos Desportivos. Câmara Municipal de Oeiras, Oeiras.

REQUIXA, R. (1979). Conceito de lazer. Revista Brasileira de Educação Física e Desporto. N.º 42

REQUIXA, R. (1980). As dimensões do lazer. Revista Brasileira de Educação Física e Desporto. N.º 45

THEMUDO, Barata & al (2008). Nutrição, Exercício e Saúde. Lisboa: Lidel.

Métodos e Critérios de Avaliação:

A avaliação dos alunos na Unidade Curricular Saúde, Ambiente e Lazer assenta nos pressupostos da avaliação contínua e está baseada em momentos de processo e de produto relativos aos conteúdos desenvolvidos no programa. 

- Frequência: 50%

- Nota Trabalhos ou relatórios e/ou Provas orais: 50%

Regente da Disciplina:

Avelino da Silva