Menu

Prática Clínica IV: Prática de Cuidados de Saúde Mental e Psiquiátrica (ed. 2011/12) - Enfermagem - Sem Ramos - Especialidades


10.5
ECTS / UC
Ano: 3 / 2º Semestre
Plano: 2011/12
Área Científica: ENF
Nível: Intermédio

Carga Horária Semestral

Ensino Teórico:
Ensino Teórico-Prático:
Ensino Prático e Laboratorial: 201.00
Trabalho de Campo:
Seminário:
Estágio:
Orientação tutorial:

 

Horas Dedicadas a Estágios:
Horas Dedicadas a Projectos:
Horas Dedicadas a Trabalhos no Terreno:
Horas Dedicadas a Estudo:
Horas Dedicadas a Avaliação:
Outras:

Cursos onde é leccionada a disciplina

Curso - Ramo Ano Plano
Enfermagem - Sem Ramos - Especialidades 2011/12

Corpo Docente

Ana Maria Costa Jardim de Azevedo
Ana Maria Costa Jardim de Azevedo


Responsabilidades:
Ensino prático e laboratorial
Gilberta Maria França Sousa
Gilberta Maria França Sousa


Responsabilidades:
Ensino prático e laboratorial
Isabel Maria Abreu Rodrigues Fragoeiro
Isabel Maria Abreu Rodrigues Fragoeiro


Responsabilidades:
Regência
Responsável pelas Pautas
Maria Otília Caires Barreto
Maria Otília Caires Barreto


Responsabilidades:
Ensino prático e laboratorial
Sílvio Filipe Velosa
Sílvio Filipe Velosa


Responsabilidades:
Ensino prático e laboratorial

Ficha da disciplina

Objectivos da disciplina

O1 Conhecer os recursos da comunidade na área da saúde mental.

O2 Promover a saúde mental da pessoa, das famílias e da comunidade ao longo do seu desenvolvimento.

O3 Prevenir o adoecer mental.

O4 Compreender o impacto das perturbações psíquicas e da doença mental na satisfação das necessidades da pessoa e das famílias ao longo da vida, bem como nos grupos sociais significativos.

O5 Intervir na satisfação das diferentes necessidades e problemas de saúde e de enfermagem identificados nos utentes, famílias e grupos de pertença, utilizando instrumentos e estratégias terapêuticas específicas.

O6 Cooperar com a equipa transdisciplinar na integração/reintegração dos utentes e famílias na comunidade.

Critérios de avaliação

Tipo de Classificacao: Quantitativa (0-20)
Modelo de Avaliação: C
Metodologia de Avaliação: Projecto e Relatório aprendizagem em prática clínica (25%); Estudo de Caso/ processo de enfermagem (25%); Prática Clínica (50%) - avaliação contínua. A aprovação da Unidade Curricular implica aprovação na componente prática clínica. Não há recuperação em época de recurso. Assiduidade - A aprovação implica que o estudante participe em 80 % das actividades desenvolvidas em contexto clínico.

Programa resumido (ver programa detalhado)

Bibliografia Principal

Amaral, António C. (2010). Prescrições de Enfermagem em Saúde Mental mediante a CIPE. Lusociência.
Ajuriaguerra, J. (1991). Manual de Psicopatologia Infantil. Artes Médicas.
O.M.S. (2001). Saúde Mental em redor do Mundo Cuidar sim, excluir não. OMS.
Batista, M. N. (1995). A prevenção das toxicodependências. A importância da Escola. Texto Editora.
Chalifour, J. (2007). A Intervenção Terapêutica. Os fundamentos existencial-humanistas da relação de ajuda. Lusodidacta.
Chalifour, J. (2009). A Intervenção Terapêutica. Estratégias de Intervenção. Lusodidacta.
Cook, J. S. Fontaine, K.L. (1990). Enfermeria Psiquiátrica. McGraw Hill- Interamericana.
Cordo, M. (2003). Reabilitação de pessoas com doença Mental: das famílias para a Instituição da instituição para as fa. Climepsi Editores.
Cuadra, A. R.; Apalategui M. U. (1991). Enfermeria de Salud Mental e Psiquiátrica. Salvat Editores.
Dalgarrondo, Paulo (2007). Psicopatologia e Semiologia dos Transtornos Mentais. Artmed Editora.
Fazenda, Isabel. (2008). O puzzle desmanchado: saúde mental, contexto social, reabilitação e cidadania. Climepsi.
Fernandes, P. (2008). A depressão no idoso. Quarteto Editora.
Filho, H. C. et al (2008). Organização de intervenções preventivas. Coisas de Ler Edições.
Kaplan, H. I. (1990). Compêndio de Psiquiatria. Artes Médicas.
Lazure, Héléne. (1994). Viver a relação de ajuda. Lusodidacta.
Marcelli, D.; Braconnier A. (2005). Adolescência e Psicopatologia. Climepsi.
Marcelli, D.; Braconnier A. (2005). Infância e Psicopatologia. Climepsi.
Marlatt, G. A. et al. (1999). Redução de Danos. Estratégias práticas para lidar com comportamentos de alto risco. Artmed.
Ministério da Saúde (2004). Direcção Geral da Saúde.Plano Nacional de Saúde 2004-2010. Ministério da Saúde.
Ministério da Saúde (2007). Direcção Geral da Saúde.Plano de Acção 2007-2016. Ministério da Saúde.
Moreira, Paulo; Melo, Ana (2006). Saúde Mental. Do tratamento à prevenção. Porto Editora.
Neeb, K. (2001). Fundamentos de Enfermagem de Saúde Mental. Edição Lusodidacta.
O'Brien, P. G. et al (2002). Enfermagem em Saúde Mental: Uma integração da teoria e prática. McGraw-Hill.
Organização Mundial de Saúde (2001). Relatório Mundial de Saúde 2001: Saúde Mental: Nova Concepção, Nova Esperança. Ministério da Saúde.

Outras Fontes Bibliográficas / Documentos de Apoio

J. Gameiro (1999). Voando sobre a Psiquiatria. Edições Afrontamento.
J. A. Flaherty et al (1990). Psiquiatria: Diagnóstico e Tratamento. Artes Médicas.
Kaplan, Sadock (1998). Compêndio de Psiquiatria Dinâmica. Artes Médicas.
American Psychiatric Association (1994). Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM IV). Washington DC: Author.
Antunes, N. Lobo (2009). Mal-entendidos. Verso da Kapa.
Brito, Luisa (2002). A saúde Mental dos Prestadores de Cuidados a familiares idosos. Quarteto.
Coimbra de Matos, A. (2004). Saúde Mental. Climepsi Editores.
Cordeiro, J. A. da S. (1999). A crise em seus aspectos morais. Cosmos.
Marcelli, D.; Braconnier A. (2000). As mil faces da adolescência. Climepsi editores.
Mackinnon, R. A. (1990). A entrevista psiquiátrica na prática clínica diária. Artes Médicas.
Moreira, P. (2001). Para uma prevenção que previna. Quarteto.
Organização Mundial de Saúde (2005). Livro de Recursos da OMS sobre Saúde Mental. Direitos Humanos e Legislação. OMS.
Ortiz, L. A., Carrasco et al (2002). Psiquiatria Geriátrica. Masson.

Atendimento

Links associados

Observações